Receba Boletins Informativos
A Dias Melhores

NOTÍCIAS

Encontro reuniu educadores sociais e gestores das estações digitais.
22/01/2013

Entre os dias 11 e 14 de dezembro, a cidade de Contagem sediou o Encontro de Estações Digitais de Minas Gerais. Participaram do evento gestores e educadores das estações digitais, que durante quatro dias debateram temas como articulação em rede, sustentabilidade das estações digitais, mobilização e participação, importância do conselho gestor para as estações, software livre, inclusão socioprodutiva e economia solidária.

O encontro foi uma parceria entre a Fundação Banco do Brasil, a Estação de Metarreciclagem Contato – MG e a Fundação Conscienciarte (uma das entidades que faz parte do novo modelo de articulação regional das estações digitais).

O evento teve como objetivo estimular as estações digitais para atuarem de forma articulada com os movimentos sociais em seus territórios, com ênfase na inclusão socioprodutiva. A ideia debatida no encontro foi de “Redes em Rede”: articular parcerias com movimentos sociais e organizações da comunidade para desenvolvimento de projetos nas estações digitais e replicação de tecnologias sociais nas comunidades.

Claiton Melo, da Gerência de Educação e Tecnologia Inclusiva da Fundação Banco do Brasil falou sobre os três pilares trabalhados no projeto das estações digitais. “Os três pontos fundamentais que estamos desenvolvendo nas estações digitais são: articulação em rede, compartilhamento de conhecimento e aperfeiçoamento da infraestrutura. Estamos trabalhando na revitalização de 500 estações digitais em todo Brasil, em parceria com as Estações de Metarreciclagem que vão fornecer os computadores recondicionados e compraremos mais 200 servidores. Também vamos melhorar a conexão de internet, pois identificamos que 18% desses espaços de inclusão digital não têm internet ou tem conexão de até 1 MB”.

Oficina Telinha de Cinema
As atividades do encontro foram conduzidas por Fed Vasquez, agitador cultural que falou sobre temas como cultura digital, economia solidária, cultura livre e articulação em rede. “Nós falamos aqui do fato das estações digitais serem não apenas um espaço para ensino da informática, mas também de aprendizado, criação de projetos e disseminação de ideias que tragam o crescimento da comunidade. As estações hoje estão se propondo a ser um espaço de desenvolvimento de projetos e articulação em rede”, explicou Fed.

Além dos debates, os gestores e educadores participaram da oficina Telinha de Cinema, uma tecnologia social certificada pela Fundação Banco do Brasil, e criada pela Ong Casa da Árvore. A oficina teve o intuito ensinar técnicas de gravação de vídeo, utilizando dispositivos móveis como celulares e câmeras fotográficas, e a edição de vídeos com softwares livres.

“Muito legal a oficina, pois aprendemos técnicas sobre como gravar um vídeo e editar vídeos, e esses conhecimentos podemos utilizar lá na estação digital, seja replicando esse conhecimento para a comunidade, ou fazendo vídeos sobre os trabalhos desenvolvidos na nossa estação”, opinou Cláudio da Silva, gestor da estação digital São Domingos, em Barbacena - MG.

Paulo Nishi, representante da Fundação Banco do Brasil, também compareceu ao encontro para apresentar a plataforma virtual de conhecimento que será implementada pela Fundação Banco do Brasil para a formação de educadores sociais. Serão disponibilizados cursos sobre diversos temas: redes sociais e comunicação, educação financeira, gestão financeira das estações digitais, entre outros temas. Alguns cursos serão elaborados em parceria com instituições como a Ong Programando o Futuro e o Serpro.

Autor / Fonte: Denise Prado

 


“Quando entrei no Banco SICOOB, vi a oportunidade que eu tive e pensei: “eu tenho essa chance, não posso nem cogitar a ideia de não fazer por merecer”. E assim me dediquei totalmente a minha carreira; quis ser melhor não apenas pra mim, mas também para minha família. Eu não passei muitas dificuldades, mas sei que eles já passaram, então decidi mudar isso. Corri atrás, ainda corro, e vou correr muito. Tudo isso foi possível pela ajuda da Dias Melhores.”

PEDRO LACERDA

Mais depoimentos


AdaptWeb - Desenvolvimento de Sites e Sistemas Web